Tel: +(238)2608000
Fax: +(238)2622660
Sexta-Feira, 27 de Maio 2022
1ª SP de Maio: Parlamento aprova, por unanimidade, Voto de Pesar pelo falecimento de Titina Rodrigues

A Assembleia Nacional aprovou na manhã de hoje, 12, por unanimidade, um Voto de Pesar pelo falecimento da cantora cabo-verdiana, Titina Rodrigues, no passado dia 6 de maio, em Portugal.

 

O Voto foi apresentado pela Deputada do PAICV, Josina Fortes, que lembrou as origens da artista nestes moldes: “Neta de um compositor e rabequista paulense, Francisco Pires Ferreira, parente, do lado paterno, dos músicos Luís Morais, Pitrinha, Edy Moreno e Djuta Silva, para citar alguns, e do lado materno, da cantora Lena Ferro, Albertina Alice dos Santos Rodrigues começou por ouvir cantar sua mãe, que perdeu em tenra idade, e aprendeu música com o seu professor primário, o célebre compositor B. Léza, da qual se tornaria uma das principais divulgadoras e cujas mornas puseram Cabo Verde no mapa-mundo, através da voz de Cesária”.

 

Mais à frente faz questão de realçar que: “Na História de Cabo Verde, Titina integrou o 1º grupo de mulheres artistas que voltaram a ocupar o espaço público no canto da morna, juntamente com Mité Costa, Arlinda Santos, Lulu Sousa e Djuta Silva, mais tarde, Ben-David. Foi também uma das pioneiras nas gravações musicais na rádio, e de discos, por editoras discográficas cabo-verdianas, a Casa do Leão e João Mimoso”.

 

Entretanto, nos anos 50 e 60 conquistou de forma marcante o coração dos seus admiradores espalhados pelas quatro partilhas do mundo. Para a sua afirmação, muito contou a sua mudança para Portugal, onde arrebatada pelo matrimônio se instalou até à morte:  “Decidiu assumir-se como guardiã da tradição, papel exigente e muitas vezes mal compreendido. A partir de Lisboa, foi tecendo toda uma rede de contactos com artistas, nas ilhas e na diáspora, continuando a tarefa de passagem de testemunho, e perpetuando a função que a nossa música tem para nós, de elo de ligação entre o país e as comunidades espalhadas pelo mundo, e entre as gerações”.

 

Nesta ordem de ideias, o grupo parlamentar do PAICV, recorda com pesar:” A sua tão referida elegância, o seu porte altivo, a intensidade da sua presença e do seu olhar, a forma como entregava a sua alma à voz sublime foram instrumentos de expressão artística ao mais alto nível, mas também, instrumentos de afirmação da nossa identidade e da nossa dignidade como Povo. Titina expressava a alma de todos nós. Foi sempre uma embaixadora de Cabo Verde”.

Titina Rodrigues, morreu aos 75 anos de idade!!!

 

De referir ainda que, o Parlamento igualmente aprovou, por unanimidade, um voto de pesar, por iniciativa do MpD, em memória do ex-Deputado nacional Amadeu Barbosa, falecido no ano passado.

 

Após a apresentação dos votos registou um minuto de silêncio em homenagem aos falecidos.

 

@ Copyright 2014. Assembleia Nacional de Cabo Verde, Design and Architecture by Technician programmer of ANCV . Optimizado para 1024x786
Todos os direitos reservados webmaster