Abílio Duarte

Abilio Duarte002

Abílio Augusto Monteiro Duarte nasceu na Cidade da Praia, Ilha de Santiago, em 16 de Fevereiro de 1931. Fez os seus estudos secundários no Liceu Gil Eanes, na Cidade de Mindelo, ilha de São Vicente já que em Cabo Verde, na época, havia apenas uma instituição de ensino segundário.

Em 1953, encontrando-se em Bissau, inicia a militancia no seio das forças nacionalistas sob a direção de Amilcar Cabral;

Em Fevereiro de 1956, participa em Paris, na Conferência Preparatória do primeiro Congresso de Escritores Negros. Aí tem a possibilidade de contactar com dirigentes do Movimento de Libertação de Angola e Moçambique.

Em Setembro desse mesmo ano, com a fundação do PAIGC torna-se num dos seus primeiros militantes. Como tal, juntamente com outros nacionalistas organiza em 1957, em Bissau,o primeiro movimento sindical de cariz africano.

No mesmo ano, encontrando-se em  Dakar, contacta destacados militantes do movimento independentista senegalês.

De Abril de 1958 a Novembro de 1960 é mandatado, como delegado do PAIGC em Cabo Verde, para a dificil tarefa de mobilização. Durante esse período lança as primeiras bases do PAIGC no arquipélago e desenvolve um trabalho de mobilização politica, principalmente no seio da juventude mindelense que foi fundamental para o incremento da actividade clandestina estudantil, em Portugal, a partir de 1960.

Em Novembro desse ano, devido a perseguição da PIDE, Abílio Augusto Monteiro Duarte parte para Dakar onde contacta destacados dirigentes do PAIGC. Daí segue para a Europa onde durante uns meses (1961)  frequenta cursos nas Universidades de Paris e na DDR. Aí torna-se um activista do Movimento estudantil africano e mundial. Foi Presidente da União Geral dos Estudantes da África Negra sob dominação colonial portuguesa (UGEAN), de Setembro de 1963 a Setembro de 1965.

Mas, por achar ser mais importante dedicar-se totalmente a luta de libertação de seu País abandona os estudos. Assim, em Março de 1963 é membro do Comité Central do PAIGC. Dessa data  a Outubro de 1966 ocupa, igualmente, a responsabilidade de representante do PAIGC junto do Governo Argelino e da Frente de Libertação Nacional (FLN). Durante esse período toma parte activa na mobilização e preparação político-militar de estudantes e trabalhadores cabo-verdianos no quadro da luta armada.

De Outubro de 1966 a Abril de 1968 representa a CONCP (Conferência das Organizações Nacionalistas das Colónias Portuguesas/PAIGC-MPLA-FRELIMO) no secretariado da OSPAAAL (TRICONTINENTAL), em Cuba.

De regresso à frente da Guiné-Bissau ocupa variados cargos de comando e de alta responsabilidade:

Em 1968 é nomeado responsável pela reconstrução nacional, nomeadamente pela Saúde e ensino, em todas as regiões libertadas. No ano seguinte é eleito Membro do Bureau Político do PAIGC, mais tarde transformado em Comité Executivo  da Luta (CEL). Em Agosto de 1971, é indigitado como Membro da Comissão Permanente do Comité Nacional das Regiões Libertadas na Guiné-Bissau ao Sul do rio Geba, fazendo parte do comando das forças armadas locais. Em 1972, assume as funções de responsável pelas questões culturais do PAIGC e retoma a actividade no domínio das relações exteriores. Em Julho de 1973, durante o II Congresso do PAIGC, é reeleito Membro do Conselho Superior da Luta (CSL) e do Comité Executivo da Luta (CEL). É eleito nesse mesmo Congresso, membro da Comissão Nacional de Cabo Verde do PAIGC;

A 24 de Setembro de 1973, participa na proclamação da República da Guiné-Bissau. Em Março de 1974 defende perante a 4ª Comissão da Assembléia Geral da ONU, o direito do povo cabo-verdiano à auto-determinação e independência e, em Outubro do mesmo ano, defende junto do Comité de Descolonização da ONU a tese preconizada pela Direcção do PAIGC para o processo de descolonização de Cabo Verde;

Em Janeiro de 1975, regressa a Cabo Verde e exerce as funções de Membro do Secretariado Permanente da Comissão Nacional de Cabo Verde do PAIGC. Em 30 de Junho do mesmo ano é eleito Deputado à Assembleia Nacional Popular e a 4 de Julho é eleito Presidente da Assembleia Nacional Popular.

A 5 de Julho de 1975, em nome do Povo de Cabo Verde e em representação da Assembleia Nacional Popular, proclama solenemente a República de Cabo Verde como nação soberana e independente.

Nesse dia histórico da Naçaõ caboverdiana é constituido o primeiro Governo da República de Cabo Verde, no qual Abílio Augusto Monteiro Duarte, irá desempenhar o cargo de Ministro dos Negócios Estrangeiros até 15 de Dezembro de 1980.

No III Congresso do PAIGC, em Novembro de 1977, é reeleito Membro do Conselho Superior de Luta e do Comité Executivo da Luta e eleito Membro da Comissão Permanente do Comité Executivo da Luta.

Em 7 de Dezembro de 1980, é reeleito Deputado à Assembleia Nacional Popular e reeleito Presidente da Assembleia Nacional Popular (12 de Fevereiro de 1981).

No I Congresso do PAICV, em Janeiro de 1981, é eleito Membro do Conselho Nacional de Cabo Verde, e durante o Congresso, membro da Comissão Política e do Secretariado do Conselho Nacional do PAICV, no qual assume as funções de Secretário do Conselho Nacional pelas Organizações de Massa e Sociais e pelos Assuntos Estatais e Públicos e, posteriormente, as de Secretário do Conselho Nacional pelo Departamento de Relações Internacionais.

No II Congresso do PAICV, em Junho de 1983, é reeleito membro do Conselho Nacional, da Comissão Política e do Secretariado do Conselho Nacional, assumindo neste último as funções de Secretário dos Departamentos das Relações Exteriores e da Emigração.

Em 7 de Dezembro de 1985 é reeleito Deputado à Assembleia Nacional Popular e a 13 de Janeiro de 1986 de Presidente da Assembleia Nacional Popular.

Galeria de Fotos

CERIMONIA DE INAUGURACAO011

CERIMONIA DE INAUGURAÇÃO DO PALÁCIO DA ANP – 1985

Visita Do Presidente Da Republica do Senegal DR Daouda Sow – 1985

1986-Visita Oficial Do Presidente Da República Popular De Angola